A história da bateria

A bateria que conhecemos atualmente, com vários instrumentos tocados ao mesmo tempo, surgiu apenas no final do século XIX, embora haja registros de que os homens das cavernas já tocassem tambores em rituais sagrados há cerca de 8 mil anos (nessa época os bumbos eram feitos de troncos de árvores cobertos com peles de animais e a finalidade do “batuque” realizado pelos nossos ancestrais, era pedir ou oferecer alguma coisa aos deuses). São desse mesmo período os instrumentos de percussão mais antigos do mundo, que foram encontrados em escavações na região da Morávia, na República Tcheca. Com o passar dos anos os instrumentos foram se modernizando e ganhando novas funções.

historia da bateria

No século XII a.C., mais precisamente na Assíria (atual território de Israel), surgiram pratinhos de metal do tamanho da palma da mão que chegaram à Europa no século seguinte. No século XIV, materiais mais sofisticados passaram a ser usados na composição dos tambores. Os batuques ganharam sons mais altos e chamativos e passaram a fazer parte dos desfiles militares. Três séculos depois, as orquestras acolheram os tambores. Em 1890, havia um costume de vários músicos tocarem tambores de diferentes tamanhos em uma mesma banda (cada um era responsável pelo desempenho de apenas um instrumento). Por volta de 1930, surgiram as primeiras bateras como conhecemos atualmente, com chimbal, caixa e bumbo. Já em 1990, surgiram as baterias eletrônicas, e no lugar dos pratos e tambores, pequenas esferas de borracha imitavam todo tipo de som.

bateria eletrônica de 1990

Esse tipo de bateria passou a ser muito utilizada por músicos em suas casas e apartamentos por ela produzir muito menos ruído que uma bateria acústica.  Além disso, o baterista tem a opção de usar um  fone de ouvido para a prática silenciosa. Tem sido muito usada também em igrejas evangélicas e até em trios elétricos, por dispensar arranjos complexos de microfone como a bateria acústica. Na elétrica o som pode ser obtido por meio de conexões de saída de linha ou MIDI e por isso evita possíveis microfonias.

No entanto, por mais vantagens que a bateria eletrônica proporcione, ela dificilmente substituirá o som fiel e puro proporcionado pela bateria acústica, que consiste em um conjunto de tambores de tamanhos diferentes e pratos em que o baterista percute com o auxílio de um par de baquetas.

bateria acústica

Em suma, a história da bateria envolve mudanças diversas no instrumento em si, mas principalmente no desempenho do músico, em sua evolução técnica e na utilização de seu pé e das duas mãos de maneira rápida em diversos instrumentos. Se em 1890 cada intérprete tocava uma parte da bateria, com o tempo ele precisou se adaptar e aprender a tocá-la por inteiro. Assim, o músico passou a tocar o bumbo com o pé (o que levou ao desenvolvimento de vários modelos de pedais para tocar essa parte que compõe a bateria) e a tocar chimbal, caixas e pratos com a ajuda de baquetas, sendo uma na mão esquerda e outra na direita.

Fontes: site: abril.com.br |  Pesquisa: “The Drum set Instrument” – Cesar Adriano Traldi e Thiago de Souza Ferreira.

Comentários: